10 dicas práticas para fechar um bom negócio

10 dicas práticas para fechar um bom negócio

A habilidade de saber fechar um bom negócio é o que vai estabelecer a diferença entre aqueles que irão fracassar e os que colherão os louros do sucesso.

Para fazer uma boa negociação, não é necessário ser um “gênio da lábia”, ter uma retórica capaz de encantar as pessoas ou ser o mestre dos negócios, basta preparação.

Aqui vão 10 dicas práticas para você conseguir fechar um bom negócio sempre.

1) Conheça bem seu produto

Embora pareça óbvio, é o fator mais importante e fundamental para uma boa negociação.

Vale lembrar que o “produto” mencionado aqui é o objeto da negociação, então pode ser um produto físico mesmo, serviço ou até mesmo você, se for o caso de uma negociação de emprego, promoção ou algo parecido.

Esse conhecimento deve ser profundo, em todos os detalhes e potenciais desse produto, para poder ter sempre forma de contornar uma objeção que o cliente levantar.

Existem negociações onde o produto pode ser muito comum ou simples e talvez pareça que não há nada de especial em apresentar para o cliente, mas é nessas situações que a sua criatividade deve ir além do produto e buscar uma visão de 360º, ou seja, todo o contexto onde aquele produto ou serviço está inserido e como ele pode contribuir para seu cliente obter um determinado benefício, alcançar um sonho, sua imagem, enfim, procure sempre pensar fora da caixa.

Conheça também o do concorrente, se houver!

Além disso, é indispensável fazer uma análise e estudo prévio do produto concorrente, e encontrar os pontos fortes que o seu produto ou serviço tenha sobre ele.

Torne exclusivo sempre que possível

Sempre for possível, tente tornar seu produto exclusivo e fora da concorrência, isso dará liberdade para negociação, pois o cliente não conseguirá fazer comparações diretas e você poderá trabalhar com valor diferenciado por se tratar de um produto também diferenciado.

 

2) Conheça o outro lado, o cliente

Tão importante quanto conhecer o que você está oferecendo é conhecer quem está do outro lado da negociação.

Tente conhecer a pessoa que será seu parceiro na negociação, procure coisas em comuns entre vocês, diferenças, preferências dele, hobbies, conquistas.

Você tendo esse arsenal de informações possibilitará desenvolver uma conversa mais interessante para o seu cliente, desenvolvendo assim mais afinidade e proporcionando um clima mais propício para a consolidação da negociação.

Onde conseguir informações do cliente

Hoje em dia é bem fácil descobrir informações das pessoas, as redes sociais e suas interações na internet podem revelar muitas coisas úteis como preferências de compras, política, esporte e etc…

O Facebook é um ótimo “fofoqueiro” e pode ser um aliado na busca de informações mais pessoais ou do dia-a-dia.

Se o cliente for um profissional mais ligado na internet, é bem provável que tenha uma conta no Linkedin, e ali então você já conseguirá mais informações de cunho profissional, e quem sabe já utilizar a própria plataforma para estreitar o contato e fazer uma pré-reunião.

Cuidado para não ser invasivo ou inconveniente

Claro que essas orientações devem ser seguidas com bom senso e cuidado, você não pode virar um detetive e começar a invadir a privacidade da pessoa, isso com certeza irá surtir efeito totalmente contrário.

O objetivo é sempre que discretamente você tenha informações que o ajudem a aproximar do seu cliente e fazer com que ele tenha mais confiança em você, e não o contrário.

3) Pergunte e ouça

Não é por acaso que Deus nos deu 2 ouvidos e uma boca. Por incrível que pareça, para conseguir fazer um bom negócio, na maioria das vezes é melhor falar menos e ouvir mais.

Não apenas finja ouvir, deixando transparecer que está louco para fechar negócio e que não se importa com o que o cliente está falando.

Preste atenção em cada palavra e faça ele se sentir à vontade, ganhe sua confiança. Esse é um passo essencial para quem deseja fechar um bom negócio.

Uma etapa importante da negociação é fazer perguntas abertas para fazer com que o cliente exponha seus reais anseios e expectativas com a negociação, isso te ajuda a conhecer a real necessidade dele e encontrar a melhor forma de oferecer seu produto ou serviço para corresponder às suas expectativas.

Valorize a opinião do cliente e ajuste o que for necessário

Principalmente quando se trata de negociação para prestação de serviço, é comum o cliente já ter uma idéia própria do que ele quer, e muitas vezes a imaginação do cliente não condiz com a realidade.

Nesse caso, se você bater de frente dizendo que a idéia dele não tem sentido, pode criar uma frustração e fechar as portas para o sucesso da negociação.

O melhor caminho nessa situação é tentar extrair a essência dessa idéia do cliente e sutilmente moldá-la a realidade.

Nunca entregue de pronto uma objeção do tipo “NÃO DÁ PARA FAZER ISSO” ou “ESSE PRODUTO NÃO SERVE PRA ISSO” mas apresente uma solução alternativa, por exemplo: “Sua idéia é interessante, talvez vamos precisar ajustar alguns pontos para ser possível dentro dessa solução…” ou ainda “Legal sua idéia, e pode ficar ainda melhor se fizermos tal e tal coisa…”.

As vezes as pessoas precisam sentir que estão no comando, e isso pode te render um bom negócio fechado.

4) Tenha sempre um plano B (e C,D…)

Muitas pessoas fracassam em uma negociação pois tem certeza absoluta de que seu plano A vai funcionar, e não se preparam para uma possível rejeição.

É interessante que você tenha sempre vários planos, para o caso dos primeiros serem descartados pelo cliente.

Insistir em uma alternativa que o comprador já negou, seja por teimosia ou por falta de planos de escape, é uma forma muito fácil de perder um bom negócio.

5) Não encare como uma guerra

Negociações, diferente do que muitos pensam, não é uma guerra e sim colaboração. Quem entra em uma reunião de negócios no modo “guerreiro” só tende a perder.

Ao invés disso, procure colaborar com seu cliente, de modo que vocês possam compartilhar informações que os façam entender melhor um ao outro.

Isso vai ajudar vocês a chegarem a um consenso, fechando um bom negócio em que os dois ganhem e ninguém perca.

Você precisa conquistar um parceiro e não conseguir um inimigo, lembre-se disso.

6) Seja paciente e encontre momento certo

Complementando o que foi dito acima, encare a negociação como um jogo de xadrez, e não no sentido da competição.

Encare como um jogo de paciência, onde você irá colocar suas perspectivas, seus interesses, enquanto o seu cliente fará o mesmo.

Quem vai com muita sede ao pote para conseguir logo o seu objetivo, quase sempre acaba perdendo a oportunidade de fechar um bom negócio.

15 minutos à mais de conversa e 30 mil reais a mais de venda.

Certa vez uma empresa, franquia de restaurantes, me chamou para uma reunião onde iríamos negociar o desenvolvimento do site deles.

O negócio estava praticamente fechado, eu faria o site deles e o valor final estava em 8 mil reais, o que era justo pelo que seria feito.

Eu poderia ter encerrado a conversa ali e ido embora feliz com o mês de trabalho garantido, mas como o cliente estava empolgado falando dos planos de expansão e franquias, resolvi escutar um pouco mais e ver se nesses planos deles haveria mais algum espaço para mim.

...Após 15 minutos de conversa eu estava saindo dali com o projeto ampliado de 8 mil reais para 38 mil reais…

Para resumir a história, após 15 minutos de conversa eu estava saindo dali com o projeto ampliado de 8 mil reais para 38 mil reais, onde desenvolveria mais algumas soluções complementares integradas ao site e que facilitaria a gestão e divulgação de suas unidades franqueadas.

7) Seja firme quanto a propostas inviáveis

Saber ouvir o cliente e entender o que ele precisa é importante, mas não significa que você deve aceitar ofertas ou propostas que sejam inviáveis.

Seja do ponto de vista econômico ou prático, sempre busque colocar a negociação baseada em objetivos realistas para você.

Negue qualquer proposta que esteja fora da realidade e tenha sempre uma contraproposta que enterre de vez o que foi pedido de forma absurda pelo cliente.

Esse é um modo inteligente de fechar um bom negócio e evitar ter prejuízo para você, enquanto só o cliente colhe os bons frutos.

8) Coloque a “Cereja no Bolo”

Em negociações mais truncadas, um pequeno bônus pode garantir o fechamento do negócio.

É muito importante ter sempre uma carta na manga para dar ao cliente a sensação de entregar mais do que ele esperava.

E isso não quer dizer que você precise fazer muito mais investimento ou trabalho, mas utilizar a criatividade para incluir um bônus que pode ser desde uma garantia adicional, um “mimo” personalizado, uma quantidade extra, um benefício em um estabelecimento de um parceiro.

As vezes uma pequena atitude pode fidelizar um cliente ou ainda torná-lo cliente por ele ter conhecimento prévio dela através de outro cliente satisfeito.

Mas fique de olho para não oferecer bônus ou descontos fora da realidade, pois isso pode levar o cliente a ficar com o pé atrás sobre a segurança do negócio.

Você já deve ter desconfiado quando alguém te ofereceu benefícios demais, não é mesmo? O cliente também ficará, portanto, faça tudo com moderação e equilíbrio.

9) Ofereça valor ao seu cliente

Essa é a regra de ouro que poucos conseguem executar e colocar em prática.

Oferecer valor é diferente de oferecer preço. Quando você apresenta um preço para o cliente a primeira coisa que vem na cabeça dele é a sensação de perca, de que estará sendo tirado recursos dele.

Para que essa sensação seja neutralizada o cliente precisa enxergar o valor desse produto ao invés do preço dele.

Me lembro bem disso quando fui com minha esposa comprar uma cama nova para nós.

Antes de sairmos de casa combinamos qual o preço máximo que pagaríamos e qual era o tipo de cama que compraríamos.

Fomos em várias lojas, pechinchamos o preço, analisamos, e por fim, com a compra já definida e enquanto o vendedor finalizava o pedido, sentei em uma Cama Box King Size Top de Linha que estava ali em exposição.

Outro vendedor chegou perto de mim e começou aconversar sobre filhos, e no decorrer da conversa estávamos falando como eragostoso ter toda a família deitada na cama.

O resultado foi que saí daquela loja com uma cama que quase não cabia no meu quarto e um carnê que quase não cabia no meu bolso, mas com a imensa vontade de viver a experiência de dormir eu, minha esposa e meus filhos na mesma cama naquela noite!

Aquele vendedor me mostrou naquela cama box um valor que eu ainda não tinha enxergado, eu ao eu ver esse valor o preço já não foi mais tão assustador quanto me parecia no início.

10) Faça o acompanhamento pós-venda

Muita gente acha que apenas precisa vender e depois não mantém mais contato com o cliente, o que é um grande erro.

Pedir feedbacks, entender se o cliente está realmente satisfeito com o produto ou serviço contratado, demonstrar que você está interessado em resolver problemas que surjam, isso tudo é importantíssimo para que esse cliente seja fidelizado e um canal de captação de novos clientes.

São essas atitudes que vão te ajudar a fechar outros bons negócios com esse mesmo cliente, tendo-o sempre na sua caderneta, firmando uma parceria a longo prazo.

Conclusão

Essas foram as 10 dicas práticas para fechar um bom negócio que eu escolhi para você.

Use-as sempre, nunca deixa nenhuma de fora e tenha sucesso nas suas negociações.

Tem alguma outra dica para complementar? Deixe-a nos comentários.

Como atrair clientes?

Se você é um empreendedor, obviamente já se fez a pergunta: como atrair clientes? Com certeza é um questionamento muito comum entre os profissionais de marketing, vendedores e empreendedores.

Você já deve ter utilizou os métodos tradicionais para atrair clientes, e depois percebeu que gastou um monte de dinheiro e não obteve os resultados que espera? 

Hoje vou mostrar uma maneira diferente e de certa forma até inovadora, através do marketing digital e de relacionamento – em como você poderá atrair clientes com custos bem mais baixos do que os métodos tradicionais de publicidade.

Se você ainda não utiliza as estratégias do marketing digital, você está perdendo tempo e ficando para trás. Mas irei mostrar alguns pontos importantes de suas estratégias e como você poderá implementar em seu negócio. 

Atrair mais clientes para o seu negócio

O primeiro ponto importante a entender é que seus clientes precisam conseguir te encontrar.

Por isso sempre bato na tecla da importância de ter uma presença digital bem estabelecida, e isso vai desde um site bem feito quanto as ferramentas complementares como Google meu Negócio, Fanpage do Facebook, Perfil no Instagram e outros.

Isso é um dos pilares do marketing digital. Através desses canais o seu público-alvo, conhecido no marketing digital como “Avatar” ou “Persona”, irá te encontrar e notar mais a sua empresa, e consequentemente se lembrar dela quando precisar de algo que você oferece.

Vale lembrar, que para atrair clientes você precisa considerar também outro pilar importantíssimo do marketing, que é oferecer um serviço ou produtos que esteja de fato, dentro das expectativas desse seu público-alvo.

Inbound Marketing

Marketing de atração

Em resumo, essa técnica baseia-se em você criar conteúdo relevante para o seu público, algo realmente de valor, que venha ser de utilidade para ele e assim mantê-lo sempre envolvido com a sua empresa ou marca.

Só que a grande sacada e que faz toda a diferença, é conseguir trabalhar esse envolvimento dele conduzindo e sutilmente induzindo à compra ou fechamento do negócio.

Não adianta ser apressado e ficar jogando propaganda, é preciso que esse processo seja feito em etapas e em forma de conversa e relacionamento.

Automatizando o relacionamento com sequencia de e-mails

Uma das formas de conseguir automatizar esse relacionamento é colocando uma sequencia de e-mails no “piloto automático”.

Na prática, deve-se oferecer para o visitante do site que no caso é o seu persona, uma “isca digital”, que é um conteúdo de grande importância e interesse do seu cliente.

Essa “isca” pode ser um vídeo, e-book, lista, planilha, infográfico ou qualquer informação que ele queira muito a ponto de concordar deixar o e-mail dele registrado para recebê-la GRATUITAMENTE.

Ao “morder a isca” o cliente entrará para essa lista que começará automaticamente enviar mensagens de forma bem pessoal, com um texto muito bem preparado, com gatilhos mentais, entregando conteúdo e direcionando ao seu objetivo que é a compra ou fechamento de um negócio.

O que antigamente era feito de maneira manual, atualmente pode ser feito por meio de automações. A comunicação antigamente estava sempre nas mãos de poucas e grandes empresas, que conseguiam dominar as mídias de rádio, TV e revistas, mas agora está disponível para qualquer pequeno e micro empreendedor. 

Graças ao mundo digital, toda e qualquer empresa pode criar o seu blog corporativo, criando conteúdo relevante e atraente para suas personas. Como você percebeu, seu negócio pode sim atrair mais clientes, e sem que você precise investir alto capital para isso.

Mas vamos agora avançar um pouco e dar mais algumas dicas de como você poderá fazer isso, vejam só.

Estratégias utilizadas para atrair clientes

Depois deter entendido qual é a lógica do inbound marketing, é preciso saber como atrair clientes de diferentes maneiras, e utilizando diferentes canais, confira então um resumo dos passos que podem ser realizados.

  • Crie blog corporativo;
  • Publique conteúdo relevante e atraente
  • Espalhe esses conteúdos nas mídias sociais
  • Utilize as técnicas SEO (Otimização para Buscas) no seu blog
  • Crie as landing pages com as iscas para captação de leads
  • Referencie e crie os links dos posts para as landpages
  • E-mail Marketing – Relacione com o seu cliente enviando os e-mails automáticos, tanto da sequência quanto de situações especiais como aniversário, promoção, etc. 
  • Sempre faça testes e análises métricas para melhorar os formatos

Usando astécnicas acima, certamente sua empresa se tornará em uma grande máquina de atrair clientes.

Entre para o time dos empreendedores de sucesso, utilizando as estratégias do marketing digital. Certamente você terá os resultados que sempre sonhou, e pensou que era algo inatingível.

Se você ficou meio perdido sobre o método que expliquei e gostaria de se aprofundar aprendendo a fazer isso na prática, deixe seu e-mail abaixo que vou enviar para você ainda mais detalhes e um Guia Passo a Passo.

Ah eh, já estava esquecendo, eu também gravei um vídeo tutorial ensinando na prática como criar essa lista automatizada de e-mails, e você pode ver neste post aqui 

Como fazer Cartão de Visita – Melhores Modelos

Como fazer Cartão de Visita – Melhores Modelos

Não é de hoje que o cartão de visita é utilizado em relações comerciais, e embora seja uma prática antiga, ela ainda é valida e utilizada hoje, e se for feita com alguns cuidados e caprichos, podem sim impressionar muito positivamente um cliente ou parceiro ajudando na consolidação de um negócio.

Eu mesmo já tive a oportunidade de realizar alguns negócios e vendas só porque o cliente gostou do meu cartão de visita ou por ele ter se destacado entre outros.


Certo dia uma pessoa me liga interessado em desenvolver um sistema e então marquei uma reunião com ele. Quando cheguei em sua empresa vi meu cartão de visita em sua mesa, perguntei onde ele havia pego meu cartão já que não lembrava de ter entregue a ele pessoalmente. Ele então me disse que encontrou em um estabelecimento que tinha dezenas de cartões expostos, mas o meu havia chamado a atenção dele e como ele estava precisando dos serviços descritos lá resolveu pegar para me ligar. Resumindo, esse cartão de visita me rendeu uma venda de 9 mil reais.

O que um bom cartão de visita precisa ter?

Para o cartão de visita atingir o máximo de seu potencial, precisa primeiramente conquistar a pessoa que está recebendo ele, e obviamente isso é possível quando o cartão de visita destaca-se positivamente, seja pela sua arte ou pelo material que está sendo utilizado, mais abaixo tem um tópico só para explicar mais sobre isso, por ora vou listar resumidamente o que é essencial em um cartão de visita.

Identificação da empresa – Logotipo / Nome

Se você já tem uma identidade visual definida, ela precisa estar padronizada no seu cartão de visita, assim você cria a ligação do cartão com a sua marca, fortalecendo-a e estabelecendo referência.

Segmento / Área de Atuação

Isso é muito importante e se torna indispensável em casos onde o nome ou marca não deixa claro a área de atuação ou solução ofertada. Vale lembrar que não é para escrever tudo o que se oferece, para isso você vai utilizar outros materiais como site, redes sociais e folders, aqui é para colocar em uma curta frase apenas o segmento. Por exemplo, Jackson Jorge – Desenvolvimento Web e Consultoria.

Meios de Contato

Esse é um dos principais objetivos do cartão de visita, entregar para destinatário ou cliente os meios de contato, então, concentre aqui os que são oficiais e relevantes para a relação comercial que se pretende estabelecer.

Endereço físico

Colocar o endereço era uma regra inviolável antigamente, mas com o passar do tempo e advento de negócios digitais, isso começou a se tornar bem opcional. É importante se de fato você tem um endereço comercial e pretende fazer atendimentos neste endereço.

Redes sociais

Incluir redes sociais pode ser interessante desde que essas sejam utilizadas de forma comercial, estejam atualizadas e bem apresentadas.

Escolha modelo e material compatível com seu público

Como mencionei acima, o cartão de visita precisa se destacar para o seu receptor, isso não quer dizer que é preciso ter um visual rebuscado ou carregado, isso vai depender muito do público-alvo.

Alguns públicos poderão sim ter melhor abertura para cartões de visitas mais carregados visualmente, como é o caso de um publico jovem, teen ou infantil, agora imagina um publico mais corporativo ou de meia idade, neste caso é preciso algo que se comunique com mais seriedade, ou por exemplo, o caso de um público de classe média-alta comparada ao público de classe média-baixa.

Vários aspectos do público pode determinar sua preferência visual e a partir daí você consegue fazer a melhor escolha de layout, arte e material

Alguns erros comuns ao fazer cartão de visita

Alguns erros bem comuns que vemos no dia a dia são basicamente a negligência de alguns itens abordados acima. Segue a lista dos principais cuidados ao fazer o cartão de visita.

Não comunicar corretamente com seu público

Essa comunicação está na cor, arte, material e texto. Tudo deve ser o mais apropriado possível para o seu público-alvo e não conforme o que você gosta ou não.

Foto e poluição visual

Não é difícil encontrar cartões de visita feito por “subrinhus” onde colocam uma foto bem mal escolhida e produzida, como fundo do cartão e escrevem por cima. Chega até dar enxaqueca ao tentar ler as informações do cartão.

Não ser criativo /inovador

Fazer um cartão “sem graça” ou “basicão” poderá até fazê-lo cumprir seu objetivo quando uma pessoa quer muito o seu contato, mas o fato de não impressionar tornará esse cartão um forte candidato à cair na próxima lixeira.

Exagerar na criatividade

O fato do cartão ter que impressionar não quer dizer que você precise transformar ele em um enigma misterioso. Lembre sempre que a essência dele deve ser mantida, que é o acesso direto e rápido às informações de contato. Se houver qualquer obstrução ou complicação para essas informações, você estará comentando um grande erro.

Transformar o cartão de visita em um jornal  

O cartão de visita não é para você detalhar todos os serviços, ofertas e etc.. Quanto mais informação incompatível com o propósito do cartão você incluir, mais ele ficará poluído e consequentemente pesará negativamente para a impressão que seu cliente terá de você ou da sua empresa.

Não planejar sua criação ou alinhar com os projetos da empresa

conforme os planos futuros.
Se você vai colocar determinada informação nele, tenha certeza que essa informação não será mudada por um bom tempo e nem se tornará obsoleta, como é o caso de endereço, e-mail, site, telefone.

Lembre que você irá produzir um material que não poderá ser alterado posteriormente e provavelmente será realizado em grande quantidade. Então planeje conforme os planos futuros.
Se você vai colocar determinada informação nele, tenha certeza que essa informação não será mudada por um bom tempo e nem se tornará obsoleta, como é o caso de endereço, e-mail, site, telefone.

Não escolher o material adequado

Antigamente os cartões eram apenas em papel, mas hoje temos materiais inclusive resistentes à água como é o caso do PVC. Se o seu cartão será por exemplo entregue por motoboy, um cartão de PVC evitaria que o cartão estrague com a umidade.

Cartões para Inspiração

Se você gostou das dicas acima, confira agora alguns cartões que separamos para servir de inspiração para você.

Ganhe dinheiro fazendo cartão de visita

Um guia completo ensinando como ganhar dinheiro fazendo cartão de visita

Gostou das dicas que te passei acima? Agora imagina um guia completo que te ensina na prática como criar, finalizar e imprimir cartões de visita para vender e ter mais de 300% de lucro.

Estamos finalizando a edição desse guia e os 50 primeiros interessados vão receber ele GRATUITAMENTE.

Nesse guia você aprenderá também onde e como vender cartões de visita, além de receber dezenas de modelos e templates profissionais e exclusivos prontos para utilizar, bastando apenas substituir as informações e ter em minutos um cartão de visita top para apresentar ao seu cliente.

O mais interessante é que você não precisará fazer qualquer investimento alto com impressoras ou equipamentos avançados, basta um computador e o conhecimento que lhe ensinaremos no Guia.

Então aproveite e se inscreva agora mesmo para receber gratuitamente assim que estiver pronto!



O primeiro site vendido

Em 2005, eu ainda era um assistente administrativo, responsável pelo setor RH da Breginski Contabilidade, mas aproveitava as horas vagas depois do expediente para mergulhar no mundo ainda desconhecido e obscuro do desenvolvimento web, afundando em trechos de action script do famigerado Macromedia Flash e me maravilhando com as primeiras aparições do CSS, que pouca funcionalidade tinha no navegador dominante da época, o Internet Explorer 6.

Já havia feito umas 4 versões do meu site jacksonjorge.com onde tentava divulgar alguns freelas de design gráfico como cartões de visita, flyers, banners para Orkut (Facebook já existia mas ainda não era tão querido pelo brasileiros), além de disponibilizar gratuitamente algumas planilhas de Excel (Sempre fui apaixonado por esse programa frio e calculista).

Neste cenário então surgiu o primeiro cliente, a TVL Express, uma empresa cliente do escritório contábil em que eu trabalhava, que viu meu site e alguns serviços que eu me aventurava a fazer gratuitamente na internet e considerando que poderia ser uma forma econômica de conseguir ter seu primeiro site, me procurou e pediu o orçamento para fazer a sua “página na internet”.

E o primeiro job a gente nunca esquece, já estava há meses me preparando para este momento e agora chegou a oportunidade! Peguei meu logotipo que tinha preparado para aquele momento e montei a proposta utilizando o Word, imprimi e fui pessoalmente no cliente para apresentar o projeto.

Lembro até hoje, fechamos em R$ 700,00 para um site institucional de 5 páginas com um formulário onde o cliente poderia solicitar a coleta de encomenda. 

Considerando que o salário mínimo da época era R$ 300,00 e que era o meu primeiro trabalho, fiquei bem feliz com a minha primeira venda que já era mais do que eu recebia em um mês de trabalho.

Infelizmente não tenho mais os arquivos desse site para relembrar o que foi feito, mas lembro que me dediquei bastante e o resultado ficou bem interessante e o projetou bem a frente de seus concorrentes, aliás, alguns nem site tinham ainda.

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE

Pin It on Pinterest