Mesada e educação financeira dos filhos

Mesada e educação financeira dos filhos

Finanças pessoais, por si só, já é um assunto complexo e polêmico, quando aliamos isso aos filhos e à educação, daí a coisa fica ainda mais complicada, porém, é um assunto de altíssima importância e fundamental para quem deseja um futuro sólido e saudável para os filhos.

Mas hoje vamos falar sobre “MESADA”, devemos dar ou não? Como fazer?

Não, não é esse tipo de mesada!!!

Essa era uma dúvida inicial nossa, mas analisando todos os pontos percebemos que pagando de forma sistemática, organizada e regular uma mesada para eles, poderíamos já introduzir a educação financeira e ir preparando-os para a vida.

Porém, para surtir o efeito desejado, construímos algumas regras e fundamentos que vamos resumidamente tentar explicar neste post.

Definir o valor base da mesada

É interessante iniciar com um valor baixo, que não venha pesar muito no orçamento e comprometer a regularidade, pois além do valor fixo há algumas variáveis que poderão aumentar consideravelmente. Além disso é importante ter folga para ir fazendo os reajustes anuais conforme a sua renda ou salário também ir aumentando.

Em nosso caso, como são 2 filhos que recebem mesada, iniciamos com o valor base de R$ 20,00 (+/-) variáveis

Variáveis conforme desempenho

Também temos em casa uma tabela onde estabelece bônus para metas ou desafios alcançados e multas para faltas.

Por exemplo, eles ganham R$ 10,00 para cada nota 10 no boletim, então, já sabemos que a cada bimestre poderemos desembolsar um dinheiro a mais conforme o desempenho escolar deles. Essa tabela de bônus nós reciclamos e atualizamos, pois acontece de alguns itens se tornarem obsoletos e surgirem outras necessidades. O importante é estar atendo à essa dinâmica e identificar as necessidades de incentivo e estímulo que os filhos estão tendo no momento.

Quanto aos descontos ou multas, são aquelas situações que não queremos que ocorram, por exemplo… Mentir, brigar com o irmão, deixar de cumprir alguma tarefa doméstica, ocorrência escolar, etc…

Sabendo o valor das coisas

Depois de um tempo percebemos que estava havendo desperdícios com produtos de higiene pessoal como shampoo, gel e perfume. Decidimos então que fazer um aumento de R$ 5,00 mensais na mesada deles e deixar esses produtos serem comprados por eles. Bingo! Isso ajudou reduzir consideravelmente o desperdício, tanto no uso quanto na escolha de marcas caras! Agora eles sabem que se gastar além do necessário o dinheiro deles vai render menos.

Prestação de Contas

Outra regra estabelecida é que eles são obrigados a apresentar mensalmente, no momento antes de receber a mesada, a prestação de contas do dinheiro deles em um livro caixa.

Veja nesse vídeo no vídeo acima que gravamos ao vivo esse momento da “auditoria” e pagamento da mesada deles.

Responsabilidade Social e Princípios

Como somos cristãos (Adventista do sétimo dia), acreditamos o princípio bíblico para dízimos e ofertas, assim ensinamos também nossos filhos a honrar esse princípio, assim, quando recebem já estabelecem os devidos percentuais para esses fins, inclusive para programas sociais de ajuda ao próximo.

Caso você não tenha esse costume ou princípio, acho importante pelo menos incentivá-los à contribuir para alguma causa social, para construir neles o senso de responsabilidade social e neutralizar o egoísmo que é natural do ser humano.

Planejando o Futuro

Outro princípio que estabelecemos para eles e tem dado muito resultado é o de poupar. Procuramos motivá-los a pensar em conquistas a longo prazo para que aprendam a planejar o futuro consigam ter o equilíbrio evitando um perfil de consumo desenfreado.

Claro que se não houver micro-recompensas a curto prazo, pode ocorrer a desmotivação e o sistema deixa de funcionar, então a palavra-chave é EQUILÍBRIO, eles gastam uma parte com algo de menos valor e satisfação instantânea mas sem comprometer o percentual estipulado para a conquista do sonho maior.

Ajustes e inovação

Temos que entender que os filhos crescem, e cada fase há mudança nos gostos, costumes e pensamentos, então para que esse sistema que visa o estabelecimento de princípios financeiros saudáveis continue funcionando, é necessário estar em constante COMUNICAÇÃO com os filhos e ir realizando os ajustes e melhorias conforme cada fase, cenário e circunstância.

Infelizmente não existe uma única receita ou fórmula mágica, mas esse método tem funcionado muito bem na nossa família e também com alguns amigos que resolveram aplicar.

Se você gostou dessa idéia ou tem alguma outra idéia sobre educação financeira dos filhos, compartilhe conosco aqui nos comentários e vamos juntos construir uma sociedade mais equilibrada e educada 😉

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE